*Omnia Vincit Amor*

sábado, 20 de agosto de 2011

Entre as Flores




Quem respira o perfume das flores tem a alma tocada pelo divino.


Dizem que para encontrar seu destino você tem que se lembrar do que mais gostava de fazer quando era criança, pois ali está a expressão mais pura do seu coração.
Fiz uma viagem, para me lembrar de cenas da minha infância...
Quando eu era pequenininha tinha uma coisa que eu adorava fazer... colher flores...
Eu colhia sementinhas e plantava em qualquer buraquinho que encontrava...
Sempre amei as flores, a natureza...
Sempre amei os animais...
Vivi boa parte da minha infância e adolescência me balançando em árvores, porque eu gostava de estar lá no alto, vendo tudo de cima, vendo "o campo" a minha volta... eram meus momentos sagrados de meditar... Acho que de meus 5 irmãos eu fui a que passou mais tempo empoleirada em árvores e enfiando o dedo na terra... adoro lidar com a terra, me sujar nela e ver a plantinha crescer...
Sempre desejei ter um quiosque de flores, uma floricultura, um banquinho na varanda prá contemplar um imenso jardim...
Pensei no curso de paisagismo, até me inscrevi para uma bolsa de estudos, mas a vida me levou em outra direção...
Hoje como terapeuta faço meus banhos de ervas, e ao final de cada seção de reiki-amor à distância, sempre cubro as pessoas que amo com pétalas de rosas, com o orvalho das rosas... alguns me disseram que sentiram até o perfume, as gotinhas...
Mãe Maria me guiou pelo caminho de rosas, uma história que já contei aqui e que mostra a cada dia o meu destino... Cada pétala de flor uma nova semente para o meu futuro.
Então me lembrei da novela "Almas Gêmeas" e do quanto ela sempre mexeu comigo... era uma coisa muito profunda, muito especial, como se eu me lembrasse de coisas muito distantes nas minhas jornadas de vida.
Dia destes eu tive uma visão, e eu estava bem velhinha, sentada num banco-balanço em uma varanda, com um xale de tricot nas costas, tomando chá e contemplando um imenso campo de flores... eu sabia que aquele campo me pertencia, via cada pessoa trabalhando, cada família que construia sua vida trabalhando ali, com as flores... Era um campo imenso, com todo tipo de flores...
A visão tinha uma riqueza de detalhes maravilhosa, e linkava fragmentos de minha vida, de tantas outras visões que tive não só comigo, de uma maneira incontestável, como uma colcha de retalhos... vi a capa do livro, os arabescos, as flores no mar, o caminho de flores, as pétalas caindo do infinito céu, a mãe Kwan Yin me dando o cálice com a rosa dentro... meu cigano me entregando a rosa vermelha, tudo, se juntando, como um filme que passava de uma maneira mais rápida que a velocidade da luz diante de meus olhos abertos, bem abertos, com uma lucidez impressionante...
Bom, toda esta visão me trouxe ainda mais certezas de onde vou chegar. O campo de flores que eu vi da minha varanda mostra todas as conexões que existem com ele, todas as outras coisas que ele sustenta; e isto me dá uma certeza ainda maior de que estou e sempre estive no caminho certo.
Bora plantar as sementes... e co-criar com a visão criativa, que com a velocidade da luz transforma o presente em realidade.


No meu coração colho flores, como todas as estrelas do céu...



meus jardins:

http://plantandosementes.blogspot.com/

http://rosasagrada.blogspot.com/